quinta-feira, 30 de junho de 2016

Prendas

Tinhas-me dado duas pedras que colheste no deserto, uma no Saara, negra, queimada, nunca pisada, disseste, a outra na fronteira com a Líbia. Só duas pedras. Tinhas-me dado um seixo redondo muito polido, apanhado na Praia dos Cães, e uma concha grande, não me lembro de onde. Tinhas muito amor por mim. Fodíamos no carro e, considerando mau jeito, fodias bem. Um dia pagaste metade do meu jantar. Foi uma grande prenda. Se me der ao trabalho de fazer as contas, mas não darei, acho que me saíste a mil euros a foda, mas enquanto o pau vai e vem, folgam as costas.